quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Pedaços


Nos pedaços de mim mesma
recomponho-me como rocha,
que brota do espanto milenar da terra
e nasce novamente.

Um pedaço de mim
é errante,
outro pedaço de mim
é amor.

Um pedaço de mim
é mãe,
outro pedaço de mim 
é pai.

Um pedaço de mim
é racional,
outro pedaço de mim
é sensacional.

Nos pedaços de mim mesma
restauro-me como um vazo quebrado,
que brota das mãos sólidas
e renasce.

Um pedaço de mim
é distante,
outro pedaço de mim
é sonhadora.

Um pedaço de mim
é ruim,
Outro pedaço de mim
é lindo.

Nos pedaços de mim mesma
junto meus cacos,
somo aos meus vários pedaços
e me faço mulher.

Marilza Rezende.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019







Abre os olhos enquanto o dia chega lentamente.
Aprenda a estar no escuro e no claro,
a driblar a insegurança do desconhecido,
a encantar-se com a surpresa.
O azul da manhã ilumina os caminhos e revela sombras.
Há formas, tamanhos, cores, gente, rumos, cão, flores, dores.
Mas também há risos, sonhos, descobertas, diversão.
Ao calor do meio-dia,
entregue-se.


Marilza Rezende.




Que o sussurrar do vento te leve um beijo carinhoso e eterno e me deixe em seus pensamentos para que a distância não apague em ti minha existência.


Marilza Rezende

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019


Feliz Aniversário minha filha,


Amanheci com saudades de você. Então, resolvi lhe escrever.  Por vezes, a palavra falada se evapora no ar, e a palavra escrita fica incrustada como talha na madeira.

Quando você nasceu, veio se juntar a nós, mortais, e a vi pela primeira vez, você me surpreendeu.  Raramente, os bebês são bonitos. Você, entretanto, tinha uma cor dourada, rechonchuda, sem marcas. Você simplesmente era linda. Apaixonei-me.  Nasceu em mim, junto com você, um sentimento novo, um sentimento envolvido por uma capa de carinho, de afeto, de cuidado, de prazer, que tudo somado descobri que era amor.

O tempo ia passando. Cada dia era uma descoberta: sua, do mundo; minha, de você. Sua coordenação motora era perfeita, seus movimentos eram firmes. Um dia cheguei a casa e você já começara a ensaiar os primeiros movimentos de engatinhar.  Depois vieram os movimentos para ficar em pé.  Que delícia.  Depois, os primeiros passos.  Que deslumbramento.  Mais tarde, os primeiros balbucios. Enfim, as primeiras palavras. Milagre. Realmente, tudo era um milagre.

Você crescia minha filha.  Linda, inteligente, esperta. Vieram os primeiros POR QUÊS. Nunca lhe deixei sem respostas.  Quando a pergunta era muito difícil, como por exemplo, COMO SURGIU O MUNDO, eu criava uma situação, simples, curta, e você se contentava. Então, eu entendia que você estava satisfeita com a resposta. Era o bastante.
Hoje, minha filha, você está com 34 anos. Independente, opinião própria. Surpreendo-me porque agora quem faz as perguntas sou eu.

Saudades, sim.  Porém, feliz.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019










Drika


Menina moça,
seu jeito suave,
mãos frias,
de coração quente.

Menina moça,
dos falsos cabelos doirados
da risada infantil
do andar desengonçado.

Menina moça,
das unhas comidas
do jeito meigo
ânsias vividas.

Menina moça,
do carinho gostoso
menina mulher.

Minha filha, minha vida

 Filha o seu nascimento foi por acaso,
mas não foi acaso que Deus me deu você.

Você trouxe cor ao meu mundo que andava cinza, 
deu sentido a minha vida.

Sei que não sei demonstrar tamanho amor que sinto, 
mas saiba que você é tudo para mim..

Esse amor é tão grande e puro que mudou a minha vida por completo.

Seu sorriso alegra a minha alma, você é puro alegria de viver...

Não existem palavras pra descrever o seu significado em minha vida...

Hoje posso afirmar que sei o que é amar e ser amada por alguém,
 por isto agradeço a Deus a cada dia por você existir.


 Eu só sei disser que você é tudo ... 


Marilza Rezende










Amigo


Amigo!
Posso entrar?
É só um pouquinho.
Crias em teu coração
um cantinho pra mim. 
Não abuso do espaço que me deres
vou fazer de pouco muito
e não vou te incomodar.
Se eu chegar tarde
não bato a porta,
não faço barulho
pra te acordar.
Prometo-te um sorriso
regado de muita alegria,
prometo respeitar tuas 
horas de solidão
sem perturbar.
Prometo te ouvir
com compreensão
sempre que de mim precisar.
E então amigo?
Arruma aí um cantinho pra mim!
Deixe-me ser tua amiga.

                                            Por Marilza Rezende















Papoula


No meu sorriso,

no meu coração,
desabrochei
num encanto,
num canto, 
tulipa,
lótus,
uma papoula amarela.
No caminho estou só,
sentindo o cheiro das flores...
de muitas cores,
falta
um beijo,
um abraço,
um cheiro 
de você,
para a menina
que renasceu
e cresceu.
Estou só com o 
perfume das flores,
o canto dos pássaros,
como um lírio talvez,
ou uma papoula
amarela...
Feliz.

Por Marilza Rezende numa florida praça de Londres 

terça-feira, 15 de janeiro de 2019










Meu pensamento 



O amor verdadeiro tem lentes especiais para ver o outro.
Vê, além da aparência física, a essência. 
E assim, ama o que é real.

A aparência física pode se modificar a qualquer tempo.
A beleza exterior pode vir a sofrer muitos acidentes e se modificar, repentinamente.

Quem valoriza o interior do outro é como um hábil especialista em diamantes que olha a pedra bruta e consegue descobrir o brilho da preciosidade.

"Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas" 

Então produza uma pérola...


                                            Marilza Rezende






O que eu quero pra mim?


Que o amor guie os meus passos. 
Que eu possa perdoar para que seja leve o meu caminho. 
Que mesmo sendo difícil lidar com algumas pessoas, que eu possa compreendê-las. 
Que eu não diga nada além daquilo que sinto. 
E que quando eu sentir, que eu sinta muito.
Que eu seja intensa  para ficar e ainda mais intensa para ir quando não me fizer bem.
Que eu tenha fé na vida, no homem e no que virá.

                                                                                   Marilza Rezende.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012



Tento arrumar a casa,

lavo o coração e passo neurônios amarrotados,
penteio a cabeça e deixo os cabelos lisos sem fios quebradiços.
Dobro alguns sentimentos e guardo,
outros jogo fora quando a poeira não sai.
Pensei em alvejá-los mas lhes tiraria a cor...
Tenho as roupas dobradas e arrumadas uma a uma,
bem passadas e engomadas,
cores sobre cores,
tom sobre tom.
Arrumo todas no guarda roupa,
como quem arruma os pensamentos em desordem.
Aspiro e respiro como quem abre as janelas.
Vento e luz natural ajudam a espantar as sombras
escondidas nos cantos.
Já arrumei outras vezes,
sei que o brilho logo chega.
Recebo pessoas frias,
quentes, tristes, alegres, magoadas,
as que magoam, decepcionadas,
as que decepcionam, mas recebo todas...
É bom receber as pessoas com cheiro de tinta nova
e com cerquinha branca de madeira no jardim
(igual sonho de americano).
As pessoas se encantam com este renovar
e sempre voltam a freqüentar nossa casa.
Tenho um coração a lenha,
bem aconchegante para noites frias

Por Marilza Rezende

segunda-feira, 29 de outubro de 2012









De tudo aprendi um pouco.



De tudo aprendi um pouco...
Aprendi ver a beleza da vida

E vê-la como uma grande orquestra
Ensaiando a harmonia da musica.

De tudo aprendi um pouco...
Aprendi apreciar o mar

 E ver na sua imensidão
Sua infinita beleza a penetrar

A minha alma, e me deixar

Flutuar sobre as suas ondas borbulhantes.


De tudo aprendi um pouco...
Aprendi o valor  de ter amigos,

E compartilhar com eles um pouco
Da minha vida.

Aprendi com amigos, conhecer outros
Mundos, outras verdades, e conhecer o

dom de ver da vida tridimensional.


De tudo aprendi um pouco...
Aprendi a ser mãe, e

Quão e supremo gerar
E amar o fruto que brotou

Do meu ser.
Aprendi amamentar, sentir

Divinamente mãe.


De tudo aprendi um pouco...
Aprendi a amar nas

Mais infinitas formas,

Aprendi que tenho grandes
Valores, e aprendi a doá-los

Sem intenção, sem pretensão.


De tudo aprendi um pouco...
Aprendi a ser bela e ver todas

As belezas, aprendi também a ser
Coerente, consciente.

Aprendi acima de tudo,
Que sou capaz

De errar, acertar,

E ser feliz .
Aprendi sorrir

E distribuir sorriso.
Aprendi, sobretudo, a essência de amar e viver.
Marilza Rezende

domingo, 23 de setembro de 2012






Um Vinho...

Um vinho tinto à temperatura exata,
ouvir um jazz,
dançar,
fazer um poema,
abraçar,
sentir o beijo,
cantar,
ser feliz,
sentir a chuva,
andar descalça na areia,
sentir a brisa do mar.
Tem a medida exata da minha essência.


Por Marilza Rezende

domingo, 9 de setembro de 2012

quarta-feira, 18 de abril de 2012


Mais um ano de vida...

Em nosso aniversário a vida se renova, pois é o nosso "ano novo pessoal". As atenções se voltam para nós, resgatamos nosso brilho de alma. É claro, aproveitar ou não este momento depende de nós.

 Eu sei, que muitas outras vezes no passado fizemos planos que não conseguimos cumpri-los. Isso realmente é chato e desmotiva, mas muitas vezes não paramos para pensar o que está por detrás dos nossos planos que não se tornaram reais. Uma das grandes bênçãos da vida é a experiência que os anos vividos nos concede.

 Em geral, as pessoas acreditam que nascem para ser felizes. Considero essa afirmação um engano. Nascemos para viver.

 Ser feliz é uma das possibilidades do percurso.

Em primeiro lugar, e acima de tudo, é preciso considerar a qualidade natural do ano. A palavra "considerar"  vem do latim "considerare", e significa "estar com o céu".

É, justamente ao elaborar frustrações, enfrentar dores, infortúnios, pesares, prazeres e também alegrias que se pode reconhecer e atingir a felicidade – ainda que não de forma duradoura.

Uma coisa é certa, no aniversário, nossa  força pessoal se renova. Estamos  com um poder maior para realizar nossos, intentos, interesses... Mas, antes de tudo precisamos analisar o que estamos dispostos a realizar durante o ano.

Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar nossos dias. Os sintomas da felicidade se traduzem no otimismo, na fé, na esperança e no empenho de ser melhor a cada dia.

Aniversariar não é só festejar a marca da idade, é desempenhar a arte de viver cada dia, saborear todas manifestações de afetos e renovar nossas metas de vida.

No aniversário, o primeiro brinde é com Deus, quando com voz embargada de emoção, surge agradecimento de viver, a certeza de que erros, acertos e fracassos, fazem nossa história e nos transforma no que somos hoje.



Marilza Rezende.

sábado, 25 de fevereiro de 2012


Acordei com os olhos molhados,


e as mãos cheias de terra


plantando flores dentro de mim.

Postado por Marilza Rezende.

domingo, 4 de dezembro de 2011

 
 


 
SEJA SUAVE!



Seja suave...

cuide de mim como se fosse tua flor.

Me olhe...

Sinta meu perfume.

Seja sutilmente um toque,

o calor que preciso.

Faça-se em mim...

Só não roube minha essência,

me deixa ser sempre viva ...



Em cada um de nós

há um segredo,

uma paisagem interior

com planícies invioláveis,

vales de silêncio

e paraísos secretos.



Por Marilza R.Bueno
poema dedicado a Marli Matsumoto

sexta-feira, 26 de agosto de 2011



A partir de hoje,
Olharei as coisas com amor e renascerei...
Amarei o sol, pois aquece meu corpo...
No entanto, amarei a chuva, pois purifica o meu espírito...
Amarei a luz, pois me mostra o caminho...
Amarei também a escuridão, pois me faz ver as estrelas...
Receberei a felicidade, que engrandece meu coração,
mas tolerarei a tristeza, pois abre minha alma...
Receberei as recompensaspois elas me pertencem,
mas também aceitarei de bom grado os obstáculos,
pois eles são os meus desafios...
A partir de hoje,
Olharei as coisas com amor
 e renascerei...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Há tanto pranto
sem riso.
Há tanto encanto
sem canto.
Há tanta calma
sem espanto.
Há tanto corpo
sem alma.

E daí?

Marilza Bueno

sexta-feira, 24 de junho de 2011



Deslizo poemas
no rascunho do meu pensamento.
rimas, estrofes,
o sentido profundo de um verso
em convulsões de palavras
de certo modo latejam
o grito que escondo dentro de mim,
num desejado poema e,
permanece por muito tempo
(um tempo infinito).


Por Marilza Rezende



segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sou Poeta.


Sou poeta no cio
Sou poeta sim.
Sou poeta sem frio
Sou poeta sim.

Sou poeta com a lua.
Lua dos amantes,
Errantes, pensantes
Lua dos namorados
E enamorados
Lua que menstrua
Que flutua.

Sou poeta com a terra
Terra sem terra
Terra de chão firme.
Terra que nasce
Resplandece
Que fortalece.
Terra da consciência
Da essência.
Sou poeta da terra.

Sou poeta do sol
Sol que brilha
Que irradia beleza
Sol que nasce e
Que morre
Sol que da vida a vida.
Sou poeta do sol.

Sou poeta do mar.
Mar, onde defeco
Meus sentimentos
Limpo a alma
E renovo.
Mar dos orgasmos
E marasmos.
Sou poeta do mar.

Sou poeta do ar.
Ar que rege as fantasias
Dos que sonham.
Ar que voam os pássaros
Ar que me dão asas
E aladas imaginações.
Sou poeta com o ar.

Sou poeta de todos
Com todos e para todos
Sou poeta com rimas
Sem rimas, com versos
Sem versos.
Sou poeta que infecta
Sua alma carente,
Sou poeta metade,
Inteira, sem eira nem beira.

Sou poeta sim!

Por Marilza R.Bueno

sexta-feira, 20 de maio de 2011

ESPELHO





De repente me vi através
do espelho o meu passado,
meus ideais esquecidos,
me vi percorrendo
caminhos longos e difíceis,
lutei com garras
as profundas loucuras da vida
como alguém que de repente
busca ser feliz, sem saber como
e porque, mas tenta.


Olhei para todos os lados
não vi ninguém,
não vi nada,
somente eu ali,
andando sem parar
correndo, chorando,
sorrindo, sonhando.
 
Olhei de novo
Vi meu passado eternizado em lembranças,
meus antigos sonhos,
meus primeiros passos
minha coragem,
meus primeiros vôos,
minhas pequenas vitórias
jamais esquecidas,
meus valores,
minhas chances perdidas.


Olhei para o presente,
e vi diante de mim,
uma mulher viva
que apesar de uma realidade
mais dura e cruel
ainda sonha,
ainda luta,
ainda busca os ideais
ainda voa,
ainda desperta a vontade
de continuar num caminho
chamado FUTURO!
chamado VIDA!


Por Marilza Rezende